Filial Seixal celebra o 105º. aniversário do Racionalismo Cristão - Portugal

REUNIÃO CÍVICO-ESPIRITUALISTA, EM COMEMORAÇÃO DO 105.º ANIVERSÁRIO DO RACIONALISMO CRISTÃO

26 Janeiro de 2015

Clique em qualquer foto para
ampliar, ou ver como SLIDE
Parte espiritual

Reflexo: - Cheguei, confesso, um pouco nervoso. Aos poucos fui-me acalmando e agora, aqui, sinto que algo superior, realmente, existe dentro deste local, só não sei é como fazer, no meu dia-a-dia, para me manter assim, livre das preocupações, das angústias, das dificuldades que todos os dias assolam os meus pensamentos.

Doutrinação: - Tens que tentar levar uma vida equilibrada. Deves, para o efeito, estudar o Racionalismo Cristão e constatar o que ele aconselha a cada ser encarnado, a cada criatura, para conseguir viver a tal vida equilibrada.

Esta doutrina não exige nada de ninguém e ninguém é forçado a aceitar os seus princípios, princípios esses, baseados na moral cristã.
É a própria criatura que, deliberadamente, se decide a vir assistir às reuniões públicas. Estando cá dentro recomendamos que, despido de qualquer preconceito, preste atenção a tudo quanto é dito através dos instrumentos mediúnicos, porta-vozes dos espíritos, que nos dizem em voz sonante, os reflexos dos pensamentos de qualquer assistente ou de espíritos que desencarnaram e não souberam cumprir o que lhes competia, logo após se desligarem do seu corpo físico, e que era seguir para o seu plano no espaço superior.

Deve ouvir com toda a atenção a resposta a esse reflexo, dada pelo presidente da reunião, no sentido de esclarecer o espírito manifestante e o público, tendo por base os princípios racionais e científicos cristãos exarados no livro base – Racionalismo cristão – para o esclarecimento espiritual dos presentes.

O interessado, se esteve atento, se gostou do que ouviu, vai refletir e, certamente, terá a curiosidade e o interesse de voltar para aprender mais e mais à medida que for ouvindo assuntos do maior proveito para a tão desejada vida equilibrada de todo o ser encarnado neste planeta de depuração para o espírito.
É certo que toda a criatura tem suas preocupações, pois, não há um único ser que viva com sentido de responsabilidade, que não as tenha. Assim sendo, esta majestosa doutrina que se interessa pelo bem-estar da humanidade em geral, vai orientando, nas suas reuniões públicas, efetuadas às segundas, quartas e sextas-feiras, como a criatura deve proceder no seu dia-a-dia, para, entre outros procedimentos, evitar preocupações exageradas e sofrimento por antecipação que, em muitos casos, se mostra desnecessário por não chegar a acontecer o que a criatura imaginava.

Nas casas racionalistas cristãs os doutrinadores têm o dever de insistir no valor do pensamento, pois é ele o guia no viver de cada um, porque ele obedece a uma das leis comuns, naturais e imutáveis que regem o universo – A LEI DA ATRAÇÃO – que não pode falhar.

Volte, amigo, venha assistir a mais reuniões públicas e aprenderá que se puser em prática o que lhe for aconselhado, viverá com muita tranquilidade e sem sobressaltos de maior.

Será de seu maior interesse seguir o conselho para proceder à higienização diária da mente – a LIMPEZA PSÍQUICA - duas vezes por dia, de manhã ao levantar-se e à noite, antes de se recolher, pois todas as pessoas, todas as famílias, todas as coletividades, em suma, podem e devem praticar a limpeza psíquica, porque só assim terão saúde do corpo e normalidade da alma, paz no lar e fora dele, que é a maior felicidade existente no mundo.
Teresa de Calcutá
As variadas formas, as diferentes cores, os inumeráveis perfumes existentes na natureza, são dádivas a presentear aquele que comtempla, observa e ama o que à sua volta existe. Nessa forma singela e simples de emoções boas, puras, deveria todo o ser encarnado aprender a viver. É por isso que em nossas casas se palmilha um caminho muito longo, é verdade, pelo esclarecimento da humanidade, mas quando esse esclarecimento estiver ao alcance de todos, outro será o vislumbrar dos dias, das noites, da vida, do percurso de todo o ser encarnado.
Até lá uns formam a natureza árida, morta, que congelou, que não progride, que assusta na paisagem, mas há um outro grupo que é construtivo, positivo e forma correntes de pensamentos solidários com tanto sofrimento que existe por esse planeta e é preciso que todos partilhem nas irradiações, pensamentos puros, solidários para quem sofre e, como sabeis, são tantos os que sofrem, os que precisam de ajuda, os que precisam de força espiritual para se erguerem nesse mundo tão árido, tão violento, onde os homens se esqueceram de que são irmãos na sua essência, mas em tempos falou mais alto o acumular das riquezas, a disputa dos bens, a conquista das terras, e foram-se aperfeiçoando os engenhos explosivos, as armas mortíferas e, pois, um país pode enviar para outro bem distante, não laços de amizade e afeto, não pensamentos solidários mas sim a guerra, as armas mortíferas que assustam, destroem e dizimam tantas populações.

Ao longo da minha vida física tive uma causa: A ajuda humanitária, o esclarecimento, o conforto dos que sofriam, dos desprotegidos, dos enfraquecidos pela falta de apoio humanitário em que as vítimas se encontravam.

Ao trabalhar nesta doutrina posso ver como ela é grandiosa, como ela nos permite ir onde é necessário chegar e, hoje, como seria grandioso e belo se todos fizessem esta reunião, esta elevação de pensamentos, todos unidos, nessa corrente forte, fluídica, que se estende às zonas onde há crianças, há adultos, há gente envelhecida, esperando, realmente, uma pequena migalha de ajuda. Hoje, com a vossa ajuda, fizemos um trabalho, fomos longe, mas elevamos os pensamentos e demos força espiritual a esses seres desfavorecidos, graças à força solidária através do pensamento que todos podem e devem fazer no seu dia-a-dia, durante alguns minutos nas suas irradiações, porque o amor ao próximo é um dever que todos têm que saber partilhar.
É dever esclarecer todos que o pensamento pode fazer o bem, mas também pode fomentar a discórdia e fazer o mal, para que saibam afastar as cortinas e deixar que a luz, a luz pura da Força Criadora chegue aonde precisa chegar.

Em nossas casas ela está presente quando todos sabem que o seu trabalho, o seu lugar é de vigilância, de atenção e de amor ao seu semelhante e só isto nos pode permitir aqui chegar e fazer o bem.

Parte cívica

Corroios, 26 de janeiro de 2015

ESTIMADOS ASSISTENTES
QUERIDOS COMPANHEIROS

Segundo os cientistas, este planeta que habitamos existe há 4 biliões de anos e o ser humano começou a povoá-lo há apenas 200 milhões de anos. Portanto, 3 biliões e 800 milhões de anos foi o tempo necessário para que, em cumprimento das leis do progresso, as partículas da inteligência universal desprendidas do Grande Foco, evoluíssem e chegassem à sua categoria máxima, neste mundo e fossem capazes de modelar e habitar um corpo humano, seu carro enquanto durar o seu jornadear terreno.
Nesses duzentos milhões de anos o ser humano, a grande esforço, conseguiu conquistar tudo o que temos hoje, materialmente falando. Coisas maravilhosas foram conseguidas, inventos extraordinários, assombrosos mesmo, alcançados mas tudo isso apenas a nível do que é material.
E no foro moral? Algo se foi conseguindo, mas muito pouco em relação às necessidades em termos de uma convivência, a mais harmoniosa possível e necessária para uma sã convivência entre os seres humanos.

Sócrates, Platão e muitos outros filósofos espiritualistas quiseram despertar a humanidade, falando-lhe da existência e perenidade da alma e para a necessidade premente de enveredar pelo caminho da moral cristã e dos bons costumes entre todos que, oriundos da Força Criadora, são irmãos em essência.

Há dois mil anos veio Jesus que, entre muitas outras sentenças sublimes, disse:

Só a verdade poderá libertar a humanidade das garras da ignorância e assim prepará-la para o cumprimento do seu dever na Terra”.

Não obstante todo esse esforço, o homem apenas se interessava pelas coisas materiais, ignorando as espirituais

Reputados investigadores sinceros penetraram no mundo moral, desejosos por entenderem as revelações extraordinárias, os fenómenos produzidos nas suas sessões experimentais que, aparentemente, entravam em contradição com os estudos científicos.

Embora reconhecendo que os fenómenos eram produzidos por forças inteligentes, como admitir essa realidade que seria um atestado de incompetência a cientistas de renome? Como admitir a existência de destinos flutuantes, seres indefinidos, errantes no espaço, gozando de uma liberdade mais ampla que a dos seres encarnados, e acima de tudo, capazes de destronar sábios já bem assentes em dourados pedestais?

Perante tal estado de coisas, o homem físico tinha que ser sacudido para se cumprir a lei que determina que o espírito humano não retrograda nem pode estacionar por muito tempo. Forçoso seria que viesse alguém não comprometido com os sábios terrenos nem com a sua ciência baseada na matéria que, por si só, já é uma consequência e não CAUSA de nada, pois a causa está na FORÇA que é o elemento primordial do universo. Como afirmou o grande fisiologista CLAUDE BERDARD, a matéria, mesmo viva, é inerte.

Jesus afirmou: “a mil chegarás mas de dois mil não passarás…” e esclarecemos, continuando a frase: “… sem conheceres a VERDADE sobre a vida espiritual, porque os tempos são chegados para restabelecerem todas as coisas”.
Passados 200 mil anos e de tantas assombrosas descobertas baseadas na matéria, o elemento inerte do universo, a humanidade quase nada sabia sobre o espírito ou alma, o elemento força, que cria, incita e movimenta o corpo por ele mesmo arquitetado.

A profecia de Jesus tinha que se cumprir. E a 3 de janeiro de 1860, nascia em Vila de Chaves, província portuguesa de Trás-os-Montes, aquele que vinha destinado a lançar as bases para uma nova ERA, a da espiritualização da HUMANIDADE.

Eis a árdua e nobilíssima missão que trouxe LUIZ DE MATTOS! O cumprimento da profecia de JESUS O “CRISTO”.
Ele devia ter iniciado os trabalhos no espiritismo racional e científico, sob a direção astral do padre António Vieira, aos 26 anos de idade, mas apenas despertou aos 50 e, para tal, foi determinante o colapso cardíaco que o levou às portas da sepultura. Também contribuiu muito o estado precário de saúde da sua família.

Muitas vezes o sofrimento físico é um enorme bem para o espírito.
ESTIMADOS PRESENTES

Luiz de Mattos nutria profundo desprezo pelo baixo espiritismo e não fosse o sofrimento por que passava certamente nunca despertaria para o estudo da vida inteligente, fora da matéria concreta.

Forçado, pois, pelas circunstâncias, aceitou ir assistir a uma sessão espírita praticada num “casebrezinho “, pobre, materialmente, falando, mas riquíssimo de luz, de inteligência e de saber e praticada “por certa gente honesta”.

Materialista que foi até aos 50 anos, inteligentíssimo que era, não foram poucos os fenómenos provocados pelo Astral Superior para que a alma investigadora de Luiz de Mattos se convencesse, sem vacilações, da existência de vida inteligente fora deste mundo.

Para separar as águas, o Astral Superior quis ser preciso, dizendo a Luiz de Mattos, na presença do seu inseparável companheiro: “A ti, a parte espiritual, a Luiz Thomaz, a parte material. Sois os dois responsáveis por esta Doutrina, Caminhai unidos, e por vós velaremos, uma vez que, em pensamento procureis religar-vos a nós.”
ASSIM SURGIU O RACIONALISMO CRISTÃO!

ESTIMADA ASSISTÊNCIA,
CAROS COMPANHEIROS DE JORNADA,
A escritura de constituição do novo CENTRO foi assinada na histórica data de 26 de janeiro de 1910 e, nesse mesmo dia às 20 horas e trinta minutos sob a presidência de Luiz José de Mattos, reuniram-se doze companheiros, em SESSÃO ESPECIAL com a nobre finalidade de, entre outros importantes assuntos procederem a:
Leitura, discussão e aprovação do Estatuto e Regulamento Interno
e
Escolha do nome que se deveria dar ao Centro.
ESTIMADOS ASSISTENTES,
CAROS COMPANHEIROS,

Na nossa qualidade de naturais de Cabo Verde, apraz-nos, sobremaneira, destacar a presença nessa Sessão Especial, do nosso conterrâneo, AUGUSTO MESSIAS DE BURGOS, figura marcante no advento do RACIONALISMO CRISTÃO.


Por todas as razões acima expendidas, estamos aqui e agora, celebrando o surgimento da DOUTRINA RACIONALISTA CRISTÃ no mundo Terra, marco importante na história da humanidade.

Depois de um extenuante trabalho cujo alcance o homem está ainda longe de compreender na sua plenitude, LUIZ DE MATTOS cerrou seus olhos para a vida material, no dia 15 de Janeiro de 1926, deixando-nos a mesa repleta das mais esplendorosas iguarias, para nos servirmos, conforme a nossa VONTADE, mais ou menos educada para o bem.

Num gesto da mais profunda gratidão, elevemos o nosso pensamento a todos quantos, até hoje, conhecidos e desconhecidos, vêm lutando pela nobilíssima CAUSA DA HUMANIDADE.
Clique em qualquer foto para ampliar ou ver como SLIDE
Agradecemos a presença de todos.
HONRA E GLÓRIA AO RACIONALISMO CRISTÃO!