Acreditei em algo que não existia - Isabel Candeias

Reflexo: - Só agora compreendi que fui enganado. Acreditei em algo que não existia, procurei seguir à risca aquilo que me ensinavam, pagava a dízima, religiosamente, ia aos cultos sempre a horas próprias. Contudo, quando os meus dias terminaram, procurei encontrar o caminho que era apregoado e
cheguei à conclusão de que nada disso existia, vendo até antigos colegas meus nas mesmas condições tristes que eu. Senti vontade de fugir, senti vontade de gritar, de rebelar-me, mas nada melhorou as minhas condições. Só hoje consegui chegar aqui, percebi que um vento forte me trouxe e mais não consegui perceber.

Doutrinação: – Antes de mais, cumpre-nos dizer-te que respeitamos todas as seitas e religiões e respeitamos também todos os seus seguidores. Cada um tem o seu livre arbítrio e faz aquilo que bem entender e nada temos com isso. Todavia isso não nos impede de dizer a Verdade, pois, para isso foi lançado no planeta Terra o Racionalismo Cristão, pelo Astral Superior, para ensinar às pessoas, que queiram saber, a razão da existência do ser humano neste mundo, de onde viemos e para onde vamos depois da chamada “morte”. Questões que desde a noite dos tempos vêm inquietando a humanidade, sem que aparecesse quem as explicasse racional e cientificamente.

Isso veio explicar ao homem, Jesus, há dois mil anos. Esse evoluidíssimo espírito apenas conseguiu doutrinar cerca de ano e meio. Foi definitivamente silenciado pela maldade, pela ignorância e pela mentira que se sentiu ameaçada.

O Racionalismo Cristão, dando cabalmente todas as explicações, baseadas em Força e Matéria, os dois únicos elementos constitutivos do UNIVERSO, apresentou ao ser humano uma ampla estrada que o vai conduzir a uma evolução mais rápida.

A partir de 1910, após ano e meio de aturados estudos da vida fora da matéria, o português Luiz de Mattos, radicado no Brasil desde os 13 anos, codificou esta bela e esclarecedora Doutrina que, quando devidamente estudada e compreendida, levará a uma melhor compreensão entre todos, trazendo por consequência a paz tão almejada por todos.

Doutrina que se propõe esclarecer a criatura sobre a vida material e a espiritual, combater o analfabetismo, tratar da sua educação cívica, para o engrandecimento da Pátria. Propõe também dar orientação racional aos povos, o que conduzirá à reforma moral e espiritual da Humanidade e à consequente construção de um mundo de fraternidade e justiça.

O Racionalismo Cristão não quer crentes, mas sim criaturas que estudem, pensem, raciocinem e investiguem a Verdade.

O Racionalismo Cristão não impõe sua disciplina a ninguém. Ele explana princípios que emanam das leis que regem o Universo. Quem gosta e compreende, segue-o.

Para uma melhor difusão e expansão de seus Princípios, o Racionalismo Cristão mantém abertas as Casas Racionalistas Cristãs, que oferecem a todos quantos queiram, pequenas palestras todas as Segundas, Quartas e Sextas-feiras a partir das 20 horas, tem atendimento personalizado a todo aquele que o solicitar.

Testemunhaste que foi enganadora a promessa da bem-aventurança após a morte, que te foi feita pela tua religião e estamos de acordo. Nós aqui ensinamos que não há céu nem inferno. Não existe nenhum Deus para castigar ou premiar aqueles que pagaram a dízima pontualmente.

O que existe sim, são os mundos a rolarem no Espaço infinito e belo, que são as verdadeiras moradas dos espíritos que desencarnam. Há Força e Matéria, esses dois únicos elementos constituintes do Universo e de tudo quanto existe. Tudo e todos são regidos por leis comuns, naturais e imutáveis, a que nada escapa.

Reflexo: - Estive com atenção ao que acabei de ouvir e, se fora só por mim, ficaria calado pois, sinto um bocado de vergonha de vir dizer aquilo que sinto, mas algo me empurrou para que falasse, e portanto acho que é minha obrigação falar.

Efectivamente, as religiões propagam muitas verdades mas também não se pode deixar de reconhecer algumas mentiras. Eu era católico, vivia em França e todos os anos por esta altura vinha a Portugal. Hoje, num desastre de carro desencarnei. Não fui só eu, havia mais pessoas naquele carro, mas neste momento apenas eu estou aqui. Só que há algo que me fez confusão porque desde criança era católico, muito embora tivesse uma maneira de pensar talvez um tanto ou quanto diferente da dos meus familiares, mas sempre que cá vinha costumava ir a Fátima e hoje apercebi-me que o desastre se ia dar. Calei-me, pensei em Jesus Cristo, em Nª. Sª. de Fátima e vim para aqui. Eu sei que por meu próprio pé não vim, alguém me ajudou a vir. Como será, então, isto possível, se eu pertencia a uma religião e vocês não?

Doutrinação: – Observaste muito bem. Com efeito nós não somos religião mas uma ciência profundamente filosófica, com sua terminologia, instrumentos e métodos próprios, visamos um fim.

Praticamos o Racionalismo Cristão, continuador da Doutrina de Jesus o “Cristo”.

Já que ouviste com atenção ficaste a conhecer a nossa filosofia.

Temos a dizer-te que afirmamos que se deve dar a máxima atenção ao pensamento. Através do nosso pensamento exercemos a lei de atracção. Pensando bem associamo-nos à corrente do bem, pensando mal entramos em sintonia com a corrente do mal, já que o planeta é atravessado por essas duas correntes e a todo o momento. Portanto, estamos ligados a uma ou a outra. Não há ponto morto. Ninguém pode estar neutro.

Disseste que pensaste em Jesus. Com este pensamento desmaterializado ligaste-te à corrente do bem que te proporcionou a vinda a esta corrente fluídica devidamente organizada e mantida pelos Espíritos do Astral Superior, para seres doutrinado e enviado à tua verdadeira morada.

ASTRAL SUPERIOR
ISABEL CANDEIAS.

Assim, como a pressa é inimiga da perfeição, assim também a ociosidade é um dos maiores inimigos do homem. Todo aquele que trabalha e luta pelo dia a dia, para angariar o necessário ao sustento próprio e ao de sua família, quer trabalhe como pedreiro, pintor, carpinteiro, engenheiro ou qualquer outra profissão, está-se beneficiando a si e àqueles que dele dependem.

O trabalho devia ser encarado como algo que jamais devia ser interrompido. Há crianças que estudam, até porque o estudo é obrigatório até um determinado ponto, mas há pais que, a partir de uma dada altura não têm possibilidades de pôr os filhos a estudar, muitas vezes até devido ao sítio aonde moram ficar longe das escolas ou dos liceus e não terem apoio financeiro que lhes permita dar-lhes o estudo que gostariam.

Mas, caros companheiros, se algum de vós estiver nesta situação procurai tratar os vossos filhos para que não fiquem em casa entregues a si próprios e à ociosidade. Ensinem-lhes a viver honestamente, nem que seja tratando do gado, levando a pastar umas simples ovelhas, cuidando do filho de um vizinho que não tem dinheiro para pagar mas, nem por isso o trabalho deixa de ser válido, pelo contrário, o trabalho quando é gratuito tem algo de superior nele e o bem retornará para esse agente.

Se estiverdes em idade avançada e a saúde não permitir que trabalheis procurai de qualquer das maneiras ter a vossa mente ocupada por leituras, por escrita, por um trabalho manual. Se ainda podeis trabalhar, mesmo que não trabalheis para ganhar, fazei-o a favor de uma colectividade que careça dos vossos serviços.

Tenhais sempre presente que todo o trabalho é válido e qualquer serviço que se faça é necessário ao mundo. Que seria dele ou o que será mesmo dele se os hábitos não se modificarem, continuando a proliferar por aí uma vida de dejectos por todos os lados, atraindo doenças que acabam por se tornar em calamidade pública. Pensem bem nisto e organizem vossas vidas da melhor maneira possível.


Casas Racionalistas Cristãs espalhadas pelo mundo